domingo, 4 de abril de 2010

Da arte de caçar gente

Um pouquinho de Aristóteles, para alegrar o dia:

“Se, então, estamos certos em acreditar que a natureza nada faz sem uma finalidade, um propósito, ela deve ter feito todas as coisas especificamente para benefício do homem. Isso significa que é parte do plano da natureza o fato de que a arte da guerra, da qual a caçada é parte, deva ser um modo de adquirir propriedade; e que esse modo deve ser usado contra as bestas selvagens e contra os homens que, por natureza, devem ser governados mas se recusam a isso; porque esse é o tipo de guerra que é justo por natureza.”

Palavras podem ser dispostas de modo a dizer qualquer coisa. E nunca no mundo faltaram imbecis que se agarrassem a uma interessante disposição de palavras em detrimento dos fatos da vida.