terça-feira, 5 de junho de 2012

"A mim não me faz medo o pó que hei de ser; faz medo o que há de ser o pó. Eu não temo na morte a morte, temo a imortalidade; eu não temo hoje o dia de cinza, temo hoje o dia de Páscoa, porque sei que hei de ressuscitar, porque sei que hei de viver para sempre, porque sei que me espera uma eternidade, ou no céu, ou no inferno."
Padre Antônio Vieira, Sermão da Quarta-feira de Cinzas

Nenhum comentário:

Postar um comentário