quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Enviei essa história agora há pouco por email a alguns amigos:

Amanhã é o aniversário da minha juíza! Encomendei há semanas o meu presente: um pack de seis garrafas da cerveja Eisenbahn Weizenbier. Esperei, esperei, esperei, e nada de chegar a encomenda. Já estava planejando comprar alguma coisa hoje, de emergência, para dar a ela. De manhã, quando estava saindo de casa, eis que o porteiro me entrega um aviso dos Correios para eu comparecer a determinado endereço para retirar uma encomenda de 7.750 gramas. Pelo peso, logo imaginei que era minha cerveja (comprei dois packs, um para mim e outro para ela). Fiquei furioso por eles não terem entregado em casa, mas deixado um aviso para retirar e com data limite até amanhã! É certo que eu precisava mesmo retirar hoje mesmo, mas não fosse a minha urgência o prazo tão exíguo seria absurdo!
Curioso pelo motivo que levou os Correios a não entregarem a encomenda ao porteiro, fui até lá hoje. Saí cedo do trabalho. O lugar onde deveria retirar o pacote é longe da minha casa, que por sua vez já é longe do trabalho. O trânsito nas vizinhanças desse lugar é horrível, sempre. Fui rezando para que o tempo fosse suficiente.
Felizmente hoje não havia trânsito! Já perto do local olhei no relógio, feliz porque chegaria a tempo. Mas de repente o meu ônibus parou: ia entrar uma criança na cadeira de rodas, mas o elevador do ônibus travava e não conseguiam subi-la. Por um instante lamentei que alguém de cadeira de rodas fosse pegar logo o meu ônibus, mas aí pensei bem no quanto estava sendo egoísta por reclamar disso e me tranquilizei. Depois de muitos esforços, de o ônibus ser ligado e desligado várias vezes para que o elevador funcionasse, a menina na cadeira de rodas entrou com a mãe e continuamos a viagem. Eu rezava ao meu anjo da guarda que me ajudasse a chegar a tempo e que esquecesse daqueles meus instantes de egoísmo. 
Cheguei aos Correios às 16h56. Detalhe: os Correios fecham às 17h. Mais um detalhe: ali não era uma agência, era um centro de distribuição. Estranhei bastante que fosse chamado a retirar uma encomenda ali. Expliquei para um funcionário o motivo pelo qual viera, ele entrou com meu documento de identidade e depois de alguns minutos veio outro funcionário me explicar o que havia acontecido.
O carro dos Correios que transportava a minha encomenda havia sofrido um assalto. Os bandidos rasgaram os pacotes (o primeiro que abriram era de um tablet), levaram o que queriam e jogaram para fora o que não lhes interessava. Os Correios então enviaram avisos aos destinatários das coisas recuperadas em mal estado, para que eles comparecessem e decidissem se as receberiam ou não.
Trouxeram a caixa da minha cerveja: eles rasgaram a caixa, tentaram rasgar o plástico bolha que envolvia um dos packs para ver o que era, mas como eram muitas as camadas de plastico bolha os assaltantes nem chegaram ao final e as garrafas estavam embrulhadinhas. Conferi que não havia nenhuma garrafa quebrada e concordei em receber a encomenda naquele estado. Felizmente! O aniversário é amanhã! Comemorei que os bandidos não levaram minha cerveja!
O rapaz me contou que o assalto ocorreu às 11h e que esses crimes estão a cada dia mais frequentes. Pela manhã, em plena luz do dia! Viver em São Paulo é complicado!
Amanhã vamos ver se a juíza vai gostar do meu presente! Se não gostar da cerveja, ao menos a história vai interessar! hahaha

Uma colega me escreveu que essas coisas fantásticas só acontecem comigo. Escrevi então a ela o que agora acrescento aqui:

Pois é! Mas as pessoas que tiveram tablets e celulares roubados apenas sofreram com um assalto, e assim encaram as coisas. Outras, que tiveram a mesma sorte que eu, apenas tiveram um contratempo. Eu não! Eu vivi mais uma história fantástica! Acho que não é questão de acontecer apenas comigo, é questão de encarar todos os acontecimentos como coisa fantástica, digna de nota, de memória, de narração! 

2 comentários:

  1. Se ela não gostar pode enviar para mim! ^^

    Magna

    ResponderExcluir
  2. hahaha

    Ela gostou. Disse que vai tomar sozinha e não vai dividir com ninguém. E gostou também da história, "mais uma das coisas que só acontecem com william". Tanto me repetem isso que começo a achar minha vida meio estranha hahahaha

    ResponderExcluir